The Vamps no Brasil: Muito mais do que um show

0
350

Vamily! Esse post foi criado com o maior carinho para, além de incentivar vocês a conquistarem seus sonhos – sim, sonhos, no plural (você pode utilizar esses exemplos para qualquer situação em sua vida) -, também mostrar que há uma solução para o que muitos acreditam que seja um problema sem solução, no caso: O próximo e tão esperado show da The Vamps no Brasil. 

Entrevistamos cinco fãs muito especiais, fãs como você que está lendo isso agora, que fizeram sua parte e conquistaram seus objetivos. Ao final do post, você poderá conferir os links para as entrevistas completas de Beatriz, Nathália, Carol, Paola e Isabella.


O que significa ir em um show? Seria participar de um evento, ou apenas diversão? Talvez algo simples, como uma decisão em cima da hora, ou algo bem complicado, que pode dar bastante dor de cabeça. Mas no nosso caso, o show em questão é muito mais do que qualquer uma das situações citadas. É um sonho, mesmo se for um dos pequenos. É um desejo de realizar algo que envolve coisas com que você se importa muito, ou melhor, pessoas.

Levando em conta que se trata de uma situação especial, quando é observada pelo ponto de vista de um fã, é completamente diferente de qualquer outra coisa. A reação imediata que acontece quando você percebe que aquilo que esperou muito tempo para acontecer finalmente irá se tornar real pode ser qualquer uma, mas não esqueça: você pode se preparar para ela.

“…Eu realmente não estava achando que era real, o Joe já havia falado que viria em Janeiro, depois que iria ser mais pra frente, e parecia que não ia dar certo então eu estava desacreditada! Demorou um pouco, mas quando eu acreditei começou um sentimento de felicidade misturado com tanta outras coisas no meu coração, a incerteza de não ir porque eu havia me mudado pra Curitiba havia apenas 2 meses e meu pai não me deixaria ir sozinha até São Paulo, mesmo eu já tendo 18 anos (no show eu tinha 19 anos já) e ele ter confiança em mim, como ele sempre diz, a falta de confiança que ele tem é em relação aos outros.”
- Beatriz
“Quando fiquei sabendo do show eu estava em casa, sabia que eles anunciariam, mas não fazia ideia da data, quando saiu a confirmação e a data eu já tinha completa certeza de que iria. Tenho uma melhor amiga que conheci por causa dos meninos, e, apesar de morarmos em cidades diferentes, comemoramos juntas, pois além da oportunidade de conhecer os meninos, ainda poderíamos matar a saudade uma da outra e a data do show caiu bem no dia do aniversario dela. Foi um misto de emoções, e a cada cinco minutos eu entrava no site deles só pra ver “Tom Brasil – São Paulo” escrito lá.
- Carol

Após a descoberta de que tudo o que você esperava está a apenas um passo de se tornar real, você descobre mais uma coisa: Não é apenas um passo. Em algumas situações, é praticamente uma maratona. O show se torna apenas um objetivo no final de muitos obstáculos que possuem nome: Estadia, comida e passagem (ou, em alguns casos, locomoção).

“Minha história é um pouco longa. Meus pais odeiam qualquer coisa que esteja ligado ao mundo e não a igreja. Antes de qualquer coisa, não quero criticar qualquer religião, ou qualquer pai e mãe que se identifique com os meus. Mas, acho uma injustiça não quererem deixar um filho ir a um simples show de uma banda de “menininha” (Pois isso era o que eu ouvia todas as vezes que dizia querer ir ao show dos meninos). Depois de muito esforço e persistência, convenci meus pais de me deixarem ir ao show. Mas com uma condição: Minha tia (salvadora da pátria) teria que ir comigo, isso se ela topasse e se eu pagasse os nossos ingressos. Fase um: Convencer meus pais – Concluída. Fase dois: Convencer minha tia: Concluída. Fase três: Conseguir dinheiro para nossos ingressos: Fracasso total. Eu não tinha um real para ir ao show. A única coisa que eu tinha eram umas revistas e HQ’S que eu colecionava. Bingo. Todas elas foram parar na OLX, assim como roupas que não usava mais, pertences velhos, e umas coisas mais. Isso me gerou um dinheiro, mas não o suficiente para comprar dois ingressos. Foi quando o Vamily sorteou dois ingressos para quem escrevesse um texto, falando o porquê merecia ir ao show. Para minha sorte, eu fui uma das ganhadoras, e com o dinheiro que tinha juntado, comprei o ingresso da minha tia. Vamily, devo tudo a vocês!!! (E a OLX também =D).”
- Nathália
“Antes de saber que eles viriam todos já falavam para guardar (desde 2015) dinheiro que seria muitíssimo provável deles virem em novembro de 2015. Eu confesso que foi muito melhor eles terem vindo em maio de 2016 (mesmo eu já estando louca de ansiedade de ir ao show, risos) porque deu para guardar bastante dinheiro. E ainda dei sorte de morar em São Bernardo-SP (30 minutos de SP) então eu não teria que pagar passagem e nem hotel, o que facilitou muito. “
- Isabella

Porém, ainda assim, mesmo com dinheiro contado e tudo planejado, imprevistos sempre aparecem. Mas nesse momento, a última coisa que você deve fazer é se desesperar. Pense: O tempo que será perdido com reclamações e desespero pode ser utilizado para criar soluções. 

“…O dinheiro eu já tinha do presente que as minhas avós haviam me dado de aniversário e eu não havia gasto, mas eu simplesmente não conhecia ninguém em Curitiba, com quem eu iria? … Pedimos ajuda pros fansites para divulgar que iríamos alugar uma van de Curitiba à São Paulo, um vai e volta vem simples, para o show e conforme o tempo foi passando as meninas foram aparecendo e se interessando, algumas confirmavam e nossa esperança ia crescendo. No fim conseguimos juntar 10 pessoas.”
- Beatriz

Lembre-se: Tudo tem solução.

Após o primeiro estágio de imprevistos passar, e tudo parecer certo, o sentimento que aparece pode ser dos mais variados.

“Janeiro, Fevereiro, Março já se foram e chegou Abril, e também chegou dia 21/04, 1 mês, SÓ UM MÊS. Aí começou a velha contagem regressiva. Bom, os dias passaram e chegou sexta-feira (20/05), como eu ia ao show com uma amiga minha (Cecilia) nós fomos até a casa dela fazer as camisetas. Naquela sexta-feira eu não dormi, 4:30 da manhã eu já estava acordada, e as horas pareciam que não passavam. 2 anos esperando esse dia e ele finalmente chegou (a ficha não caiu até agora, risos).
- Isabella
“Chegando a última semana antes do show, os meninos aterrissaram aqui no Brasil e o pessoal do grupo mandaram fotos com eles no aeroporto, meu ataque de ansiedade começou de novo. Todo dia, quando eu acordava olhava o Twitter e o Instagram para saber de tudo que eles estavam fazendo, onde estavam e essas coisas de fãs viciadas. Sem contar que o assunto com as minhas amigas era sempre sobre The Vamps, elas queriam me matar no final da semana, não me aguentavam mais… Mas juro pra vocês que eu consegui me controlar no dia do show, foi tudo tranquilo até quando entrei no Tom Brasil. “
- Paola

É necessário deixar a ansiedade de lado no grande momento de colocar o plano em ação, para não acontecer nenhuma surpresa ruim, seja a mais simples possível, como esquecer o ingresso em casa por exemplo. Manter a calma é essencial para fazer as coisas acontecerem de maneira correta.

“Quando começou a preparação para o M&G eu já nem conseguia mais me aguentar, e logo eles estavam novamente na minha frente, quando chegou nossa vez, como uma boa Jonnor girl corri para James e Connor, com intenção de abraçar o James primeiro, mas Connor acabou entrando no meio do abraço e abracei os dois ao mesmo tempo, em seguida abracei o Tristan e então o Bradley. Eu e minha melhor amiga tiramos as fotos juntas, e tenho que admitir que foi muito corrido na hora da foto, com segurança nos apressando e etc, e no fim só conseguimos uma foto que saiu legal.”
- Carol

Outro aspecto que é super importante é preparar a agenda, não somente a sua – o que fazer, o que comer, quando ir, quando não ir – mas também a da banda. É impossível saber tudo o que eles irão fazer com antecedência, mas alguns eventos abertos ao público tem chances de acontecer, assim como em Maio, com a sessão de autógrafos. Não esqueça das hipóteses porque elas podem acontecer e sim, se repetir.

“Bom, no dia seguinte do show eu fui até o hotel dos meninos de manhã e quando achei que iria embora sem poder falar com eles James, Connor e Dean desceram, eles estavam gravando o cover Jonnor de “Can’t stop the feeling”, eles pediram que dançássemos com eles e foram super simpáticos novamente, James até tirou uma “selfie” com as fãs no fundo, e rapidamente atenderam as fãs antes de entrarem novamente.”
- Carol

Saia da zona de conforto! Não fique esperando a banda ir até você, faça algo para conseguir chegar até ela. Infelizmente, acredito que seja muito difícil um show fora do eixo Rio-São Paulo. E a culpa é de quem? De ninguém! O grupo não é tão conhecido no país, seria muito arriscado fazer mais do que um, no máximo dois shows. Não é porque você tem um grupo de amigos na sua cidade que gostam que 1- Todos iriam no show; 2- Lotariam uma casa para 3.000/4.000 pessoas. Então por que não fazer um show no Sul, ou Norte no lugar do Sudeste? Simples: A maior concentração de pessoas está nessa área, assim como produtores de show e, principalmente, gravadoras (no caso, Universal Music), que cuida de toda a agenda. Não estou dizendo que é impossível, ou que nunca irá acontecer. O que quero dizer é: Ao invés de ficar esperando algo “fácil” acontecer, se arrisque e faça antes. Porque acredite, vale a pena.

“Inesquecível. Incrível. Surpreendente. Nunca vivi algo igual. Sempre que falava “Ah, eu quero ir no show do The Vamps” a pessoa olhava pra minha cara confusa e ficava tipo “Que, tá doida?? Você mal sai de casa”. Era literalmente assim. Até eu me perguntava o que tava fazendo, por que eu realmente odeio sair de casa. Mas, hoje eu não me arrependo nem um segundo. Embora eu odeie festas, eu amo musica como se ela fosse uma parte da minha alma. A música sempre se fez presente em mim, e naquele dia, eu realmente sentir o que eu precisava para compreender, para entender que era aquilo o que eu queria pra minha vida.”
- Nathália
“…No dia seguinte de manhã peguei minha faixa, a palheta e o ingresso e fiquei parada olhando pra eles, foi aí que eu senti a falta deles, do show e de tudo que passou, a bad pós show atacou. De tarde voltamos para Joinville, cidade que eu moro em SC, e chegamos a noite de novo, mas desta vez sem chuva e a estrada estava tranquila.”
- Paola

Nesse caso, a banda precisa muito da sua presença no show, pois convenhamos que The Vamps não tem tanta fama no país, ou seja, eles realmente querem você lá, com seu apoio, cantando suas músicas. E, se você não foi da última vez, com certeza pode ir da próxima, porque tem tempo! Faça planos, assim como as fãs que participaram desse post fizeram, e então você vai saber a sensação de dever cumprido e sonho realizado no final de tudo.

“Quando saímos do Tom Brasil eu ainda estava me sentido em um sonho, olhava para tudo e não parecia real, eu não poderia estar mais feliz com todos os ocorridos e coincidências. Quando sentei no meu cantinho da van, todo mundo ficou em silêncio e escuro Coming Home veio na minha cabeça, tanto por eu estar voltando pra casa como os meninos também estavam, aquilo me deu momentaneamente uma dor no coração, por saber que tudo tinha acabado, mas depois veio o sentimento de gratidão por cada momento vivido naquele dia, mandei mensagem de voz para todo mundo para mostrar minha rouquidão maravilhosa, me desculpei por não encontrar uma amiga e finalmente fui me arrumar para dormir. Estava cheia de dor, fedida, suada e completamente destruída, mas valeu a pena cada segundo de dor, problemas e tudo mais, foi maravilhoso e eu faria tudo de novo!”
- Beatriz
“…Foram tantos anos, meses e dias que não passavam rápido para chegar no dia e ele passar voando. Tudo valeu muito a pena, foi maravilhoso. Eu ainda não sei descrever o que eu senti quando abracei eles. Não caiu a ficha que eu conheci meus ídolos. A presença de palco incrivelmente maravilhosa, o carinho que eles possuem pelos fãs e as brincadeiras que eles fazem, tronou o show maravilhoso.”
- Isabella
“Foi uma semana maravilhosa, e sem dúvidas mal posso esperar pela próxima vez. Farei tudo de novo e não me arrependo de nenhum momento.”
- Carol
“Hoje eu assisto aos vídeos do show e fico pensando: E se eu tivesse caído na conversa dos outros e não tivesse lutado para realizar aquele sonho? Eu não teria me realizado. Não teria descoberto o verdadeiro valor do dinheiro. Não teria sentido a sensação de: Caramba, eu consegui. E com certeza não teria conhecido as três pessoas maravilhosas que hoje são minhas BFF’S. Se valeu a pena? Valeu a galinha inteira.”
- Nathália
“Eu não poderia colocar minha experiência só por aqui, você tem que acompanha-la de perto, com seus próprios olhos, porque assim você sabe que viveu e nunca vai esquecer de tudo que aconteceu. The Vamps é uma banda agitada, brincalhona e acima de tudo engraçada, você se diverte muito e saí do show como uma criança toda soada depois de brincar muito. É uma grande oportunidade que você não vai se arrepender NUNCA. Eu amo eles com todo o meu coração, depois dessa oportunidade que eu tive, passei a ama-los mais.”
- Paola

Nós do Vamily Brazil ficamos muito gratos em poder passar essa mensagem a vocês, e realmente esperamos que esse post especial possa ajudá-los de alguma forma. Caso esteja interessado em mais posts como esse, clique aqui para conferir o “Dicas para a viagem até São Paulo”, que criamos para o show de Maio de 2016, e pode incentivá-los.

 

Em nome de toda a equipe agradecemos a participação das fãs com as entrevistas.  Clique nos links abaixo para ver as versões completas:

Beatriz (@vampsaveme)

Nathália (@NatLovesBrad)

Carol (@carolraquieli)

Paola (@PaolaPimazzoni)

Isabella (@bradelights)

O Vamily Brazil estará sempre pronto para ajudar e incentivar o fandom. Não deixe de entrar em contato conosco através das redes sociais (twitter, facebook) caso esteja procurando alguma solução, além de perguntas e dúvidas.

Posts semelhantes a esses estão por vir, então fique de olho aqui no vamilybrazil.com!

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY