The Vamps no Brasil: Muito mais do que um show (Entrevista: Paola)

0
111

“Eu estou tão ansiosa para contar isso para os fãs, que nem sei por onde começar… Quando eu soube do show do The Vamps aqui no Brasil eu enlouqueci, comecei a ir atrás das informações, mas nem tudo tinha sido divulgado. Então quando começou a sair as informações direitinhas, me informei e falei tudo para meu pai, que no começo ia comprar o ingresso, mas acabou deixando de lado e pediu pra que eu falasse com o meu tio para comprar. Eu nunca fui tão cara de pau desse jeito, mas era um show que eu queria ir muito então eu fui atrás, expliquei pra ele a mesma coisa que eu falei pro meu pai e ele disse que ia dar uma olhada. Duas horas depois ele me pediu as informações da rua onde eu morava, da escola onde eu estudava etc., falando que iria comprar. Eu fiquei muito feliz, porque seria a primeira vez que eu iria a um show como fã, agradeci a ele demais.
Nos primeiros meses que estavam divulgando ainda a banda eu não estava muito ansiosa, porque eu ja tinha comprado e tals, mas quando a informação do MEET&GREAT vazou, fui a loucura mais uma vez, comecei a ficar ansiosa demais, falava todo santo dia com meus pais falando que eles precisavam comprar, que seria a última coisa que eu pedia a eles e essas coisas, mas eles também não compraram, quem comprou meu ingresso pro M&G foi o irmão do meu tio, ele me deu dinheiro e tudo, mas no dia que liberaram para comprar o ingresso eu não estava conseguindo, tentei pelo cartão da minha mãe e não funcionava. Liguei pro meu tio desesperada porque eu queria muito ir nesse M&G, mas no dia seguinte quando eu fui ver para comprar tinha acabado de lotar. Eu fiquei muito triste, mas dias depois eu voltei ao foco e lembrei comigo mesma que se não deu para comprar era porque não era pra eu ir.
Uma das coisas com que eu não tive que me preocupar foi o dinheiro, porque meu pai já tinha me dado uma quantia exata para gastar em SP. O único problema era: como eu iria pra SP? Eu sempre perguntava pro meu pai se eu iria de avião ou não, porque nos últimos dois shows que eu fui, eu fui de avião e eu estava pensando em ir de avião nesse agora, mas não foi isso que aconteceu. Eu, meu pai e meu irmão fomos para SP de carro. Quando pegamos a estrada na sexta feira, começou a chover no percurso de Curitiba até chegarmos em Pirassununga, onde meu tio mora para o dia seguinte pegarmos a van e sair rumo a SP, fiquei acordada desde a hora que nós saímos até a hora em que chegamos, por puro medo de algo acontecer. Mas quando chegamos em Pirassununga era por volta das 2/3h da manhã, nós comemos e fomos logo dormir. Depois de duas de sono eu acordei mais do que disposta, tomei um banho, me vesti, fui tonar cafe da manhã e logo nós saímos. Eu fui de excursão com Leandro Excursões, meu tio, logo foi entrando o pessoal até que as gurias com que eu mantive contato foram entrando na van, nós conversamos, para desviar da atenção de que TODAS NÓS ESTAVAMOS ANSIOSAS, sobre diversos assuntos e nós nos conhecemos um pouco, achei elas todas simpáticas
Quando chegou no finalzinho de Abril o TheVampsBR liberou o grupo do whatsapp e eu resolvi entrar para conhecer o pessoal que ia ao show, fiz uma amizade com 4 pessoas do grupo, elas são bem queridas e inclusive uma delas que estava no grupo foi na mesma excursão que eu, foi bem divertido, mas nunca esqueço a ansiedade do pessoal, era bem engraçado também, sempre comentando que não acreditavam que iriam, que era um sonho virando realidade. Chegando a última semana antes do show, os meninos aterrissaram aqui no Brasil e o pessoal do grupo mandaram fotos com eles no aeroporto, meu ataque de ansiedade começou de novo. Todo dia, quando eu acordava olhava o Twitter e o Instagram para saber de tudo que eles estavam fazendo, onde estavam e essas coisas de fãs viciadas. Sem contar que o assunto com as minhas amigas era sempre sobre The Vamps, elas queriam me matar no final da semana, não me aguentavam mais… Mas juro pra vocês que eu consegui me controlar no dia do show, foi tudo tranquilo até quando entrei no Tom Brasil. As meninas da van foram pra fila dos seus setores e eu e meu tio fomos ao shopping, SIM EU FUI AO SHOPPING, a gente viu X-Man e eu gostei muito do filme, era bem diferente dos outros que eu já tinha visto dele. Saindo do cinema, a única coisa que eu podia pensar era THE VAMPS, que horas são? A gente vai chegar atrasado, eles estão entrando no palco, a fila vai estar grande, vai estar cheio, não vou pegar um lugar legal, MAS NADA DISSO ACONTECEU. Estava tudo certo, chegamos na casa de show e não tinha NINGUÉM na fila, entramos e os seguranças mal nos revistaram direito. Quando eu botei meus pés ali dentro, senti um friozinho na barriga, a ansiedade do show começar era enorme, não esperava mais a hora de ver os meninos e principalmente o Brad com seus cachinhos esvoaçantes… Entrando na parte da pista normal, não estava cheio e principalmente a pista vip com aquele espaço enorme ali no meio. Fui andando para parte esquerda do palco, primeiro peguei um pai que ficou na GRADE? e eu não enxergava nada, mas quando o show dos meninos do The Tide começou , pulei muito até ficar do lado da caixa de som com uma visão PERFEITA.
Eu não tive a oportunidade de ir em nenhum evento especial, porque eu estava viajando de carro indo para Pirassununga e não São Paulo, mas quando eles vierem pra cá novamente vou tentar ir em algum desses eventos, porque sempre wuis ir em um desses.
Os meninos do The Tide ficavam se mexendo o tempo inteiro e sempre vinham para o lado esquerdo com a excessão do Levi que não veio uma ÚNICA vez pro meu ladinho… O show estava bem divertido quando o Drew decediu ficar bem no canto do palco e lançar uma palheta bem onde eu estava, a muvuca foi intensta, porque a galera queria achar a palheta, até eu. Uma guria que estava do meu lado também tentando procurar a palheta e ela não estava achando, até que ela ligou a lanterna do celular e eu vi onde a palheta estava e eu peguei ela. A menina ficou bem brava comigo e com todo o direito (até eu ficaria brava comigo mesma) e comentou que foi bem “legal” da minha parte fazer isso, a única coisa que eu respondi foi desculpa. Guardei a palheta no meu bolso e enfiei ela bem fundo com medo de que a guria tirasse de mim, praticamente o show todo ficava conferindo se a palheta ainda estava ali. Tenho certeza que ela ainda deve me xingar por conta da palheta, mas sério se você estiver lendo isso agora, saiba que eu peço milhões de desculpas e juro pra você que se eu te encontrar no próximo show e ele jogar a palheta onde eu esteja e eu pegar, eu te dou a palheta. Me desculpa mesmo. Uma outra oportunidade que eu pude presenciar e isso foi no show do The Vamps mesmo foi quando o Brad subiu na CAIXA DE SOM, a galera ficava empurrando querendo pega-lo mas não dava, a única coisa que eu lembro era ficar gritando feito louca pra ele e ele fez contato visual comigo (espero que tenha sido para mim) diante disso eu pirei junto com ele no show. Connor e o Brad ficaram no mesmo cantinho do Drew por uns 3min., foi muito divertido, porque eles sempre voltavam… Uma coisa que me incomodou muito no show era que o James estava do meu lado e nunca olhava pra baixo, sempre pra parte de cima, teve uma hora que eu gritei uns 15 James pra ele olhar pra baixo e ele olhou GRAÇAS A DEUS. Os momentos engraçado foram as partes que nós fãs cantavamos adiantadas e o Brad começava a sorrir e fazer “não” com a cabeça. Os momentos mágicos para mim foram quando eles cantaram o Medley, Tristan no solo e VOLCANOOOO, eu estava tão ansiosa para essas partes, mal esperava ouvir elas ao vivo. No final do show consegui ficar na grade para presenciar Wake Up que foi lindo, amei cada segundo quando eles cantaram, me emocionei até.
Quando tudo acabou, demorei um pouco pra sair de onde estava, porque eu estava na expectativa de que iria ter mais, mas não teve. Assim que encontrei meu tio, fomos em direção a saída, mas ao meio disso eu encontrei uma guria do grupo do whatsapp, onde nós nos falamos para nos encontrar mas não deu certo. Quando eu encontrei ela dentro do Tom Brasil, eu gritei o nome dela e fui abraçar ela, foi bem legal, conversamos um pouco mas logo fui embora, me despedi e dei mais um abraço nela. Saindo do Tom Brasil fomos em direção a van, eu com a minha palheta e minha faixa. Quando eu entrei lá dentro, segurei elas bem firme e agradeci por cada momento que eu tive ali dentro e jurei que iria voltar no show deles. Quando eu cheguei em Pirassununga morta de cansaço, fui tomar uma ducha e cai dura na cama. No dia seguinte de manhã peguei minha faixa, a palheta e o ingresso e fiquei parada olhando pra eles, foi aí que eu senti a falta deles, do show e de tudo que passou, a bad pós show atacou. De tarde voltamos para Joinville, cidade que eu moro em SC, e chegamos a noite de novo, mas desta vez sem chuva e a estrada estava tranquila.
Eu não poderia colocar minha experiência só por aqui, você tem que acompanha-la de perto, com seus próprios olhos, porque assim você sabe que viveu e nunca vai esquecer de tudo que aconteceu. The Vamps é uma banda agitada, brincalhona e acima de tudo engraçada, você se diverte muito e saí do show como uma criança toda soada depois de brincar muito. É uma grande oportunidade que você não vai se arrepender NUNCA. Eu amo eles com todo o meu coração, depois dessa oportunidade wue eu tive, passei a ama-los mais.”

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY