The Vamps no Brasil: Muito mais do que um show (Entrevista: Isabella)

0
120

1- Qual foi sua reação no primeiro momento que soube do show no Brasil, em São Paulo? 
“Quando descobri que os meninos viriam ao Brasil, eu estava ouvindo o cd WAKE UP a minha reação foi sair gritando e cantando, eu sabia que daquele dia em diante minha vida iria mudar. Sabia que a primeira coisa que eu deveria fazer era guardar dinheiro, porque se minha mãe não deixasse eu teria a desculpa de que eu tinha dinheiro para comprar o ingresso e a segunda coisa seria convencê-la a ir comigo (porque venhamos e convenhamos, minha mãe não é dessas que adora um showzão, mas ainda bem que ela gostou do show e que a mãe da Cecilia foi junto). Mas nem precisei disso, como eu não sabia o que pedir de aniversário em (2016) eu decidi que queria ir ao show em vez de qualquer coisa, mas o presente chegou bem mais cedo do que meu aniversário (risos), eu ainda vou fazer aniversário.”

2- O que você fez para se preparar? 
“Antes de saber que eles viriam todos já falavam para guardar (desde 2015) dinheiro que seria muitíssimo provável deles virem em novembro de 2015. Eu confesso que foi muito melhor eles terem vindo em maio de 2016 (mesmo eu já estando louca de anciedade de ir ao show, risos) porque deu para guardar bastante dinheiro. E ainda dei sorte de morar em São Bernardo-SP (30 minutos de SP) então eu não teria que pagar passagem e nem hotel, o que facilitou muito.”

3- Quais foram os estágios da ansiedade? Seja sincera! 
“No dia que saiu a notícia de que eles viriam ao Brasil eu já não via a hora de ir. Agora em dezembro, quando saiu os ingressos, eu estava lá, na frente do computador desde as 11:30 (os ingressos sairiam ao meio-dia). Deu meio-dia e os ingressos não tinham saido, eu ficava atualizando a página e nada, comecei a entrar em pânico, eu entrava no Twitter via os tweets da Vamily Brazil informando que ouve atraso (The Vamps sem atraso não é The Vamps, risos). Ainda que quando sairam os ingressos o site travou (quase tive um ataque do coração) e para piorar minha mãe me coloca para comprar os ingressos sozinha e o medo de dar errado? (risos) Mas deu certo consegui comprar, agora é só esperar 6 meses para esse show. Mas e a anciedade para os ingressos chegarem (pedi para enviar por correio, como era meu primeiro show eu queria os ingressos na minha mão, não aquela sulfite com o código de barras dos ingressos, risos), onde eu à enfiava?? (risos). 15 dias úteis para entrega dos ingressos, beleza. 15 dias e nada, foi ai que eu descobri que no sistema do Ingresso Rápido estava que eu queria imprimir em casa, quase surtei (risos). Mas acabou que eu consegui receber os ingressos, ufa!
Janeiro, Fevereiro, Março já se foram e chegou Abril, e também chegou dia 21/04, 1 mês, SÓ UM MÊS. Aí começou a velha contagem regressiva. Bom, os dias passaram e chegou sexta-feira (20/05), como eu ia ao show com uma amiga minha (Cecilia) nós fomos até a casa dela fazer as camisetas (foto). Naquela sexta-feira eu não dormi, 4:30 da manhã eu já estava acordada, e as horas pareciam que não passavam. 2 anos esperando esse dia e ele finalmente chegou (a ficha não caiu até agora, risos).”

4- Como foi sua ida até São Paulo (se for o caso)/ Tom Brasil?
“Minha ida foi um pouco estressante mas eu faria tudo de novo se eu pudesse. Eu teria que estar as 14:30 no Tom Brasil por conta do M&G. Sai de casa as 14:00, okay, já sai atrasada e ainda para variar eu me perdi (risos), acabei chegando no Meet as 15:20, pelo menos deu tempo de pegar a fila com a Rafa e a Ana, meninas que eu conheci on-line, acabei furando fila junto com elas. A fila foi a melhor parte, conversei com as meninas tanto da Vamily (Anna e Júlia) quanto as meninas que eu conhecia pelo fandom.”

5- Foi em algum evento especial da banda no Brasil? Se sim, como foi? (No caso de sessão de autógrafo, hotel, M&G…)
“Como dito, fui ao M&G, foi a melhor coisa que eu poderia ter feito, sem contar que acabei conhecendo pessoas que mesmo morando longe, eu levarei para sempre. Uma semana antes do show eu ainda estava em dúvida em ir ou não no Meet. Mas tenho certeza de que se eu não tivesse ido, eu ia me arrepender para o resto da minha vida (risos).
E na hora que já estavamos dentro do Tom Brasil para o Meet os meninos estavam passando o som, foi o momento que mais marcou (todos marcaram).Esses meninos são maravilhosos, foi uma pena que nós não tinhamos muito tempo para falar com eles (no Meet) mas eles são SUPER MEGA carinhosos, mesmo com um tempo tão curto eles tentam dar a maior atenção às fãs. As brincadeiras Tradley na hora do Meet (pena que não podia usar celular).

6- Conte como foi a grande experiência do show! 
“Foi o melhor show do mundo, não que eu tenha ido em outros, mas foi a melhor experiência que eu poderia ter. Conheci amigas que sem esse show nós nunca íamos nos conhecer pessoalmente. A fila para o Meet foi maravilhosa, sim demorou, mas não há nada melhor do que estar com pessoas que você acabou de “conhecer” e que têm os mesmos gostos que você.
Ps: Fiquei nas Frisas do lado direito, eu conseguia ver tudo, mas confesso que eu queria estar na Pista VIP.”

7- Ao sair do Tom Brasil, qual foi o sentimento? 
“Eu vou falar a verdade, eu fiquei bem na bad (risos), foram tantos anos, meses e dias que não passavam rápido para chegar no dia e ele passar voando. Tudo valeu muito a pena, foi maravilhoso. Eu ainda não sei descrever o que eu senti quando abracei eles. Não caiu a ficha que eu conheci meus idolos.
À presença de palco incrivelmente maravilhosa, o carinho que eles possuem pelos fãs e as brincadeiras que eles fazem, tronou o show maravilhoso.”

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY