James McVey argumenta sobre a quantidade de animais mortos desnecessariamente, para o The Huffington Post

0
187

James McVey já declarou inúmeras vezes que é vegetariano e defende os animais, neste artigo para o The Huffington Post, ele argumenta sobre os bilhões de animais que perdem a vida para depois não serem utilizados, e assim, jogados fora. Ele diz que sabe que as pessoas continuarão comendo carne, porém, é necessário evitar o desperdício em casa e ter consciência de que isso irá poupar muitas vidas, já que nós não somos mais iguais aos homens das cavernas.

Confira aqui o artigo e a tradução abaixo:


 

Pessoas irão comer carne pelo resto dos tempos – Mas nós podemos diminuir o número de animais mortos desnecessariamente

Eu não como carne. Revisando o Meat Atlas (Atlas da Carne) do Friends of The Earth (Amigos da Terra) de 2014, há 375 milhões de pessoas no mundo que levam uma vida vegetariana e eu sou orgulhoso de estar nessa categoria. Contudo, eu não serei aquele que faz protestos violentos na linha do piquete te condenando por seu estilo de vida ou escolha dietética porque, esse não é o meu papel – afinal, é escolha sua.

O propósito disso não é colocar lenha na fogueira e às vezes aquecer disputas de se você deve comer carne; Eu sinto que muitas pessoas já abordam essa causa. Você tem mais do que provavelmente visto os cartazes ou artigos e você não precisa de mim para reiterar.

Minha briga pessoal não é sobre a opinião pessoal ou ética, é sobre estatísticas inegáveis. O artigo da Vicki Hird’s em 2014 no The Guardian afirma que nós jogamos fora 570,000 toneladas de carne fresca cada ano. Atravessar o Atlântico e a imagem é apenas o tanto sobria – Statista afirma que em 2012, $36,4 bilhões valem a carne e salsichas que foram perdidas.

Agora, é óbvio que isso tem severas implicações econômicas mas, não é isso o que mais me entristece. Vamos olhar para isso de outra maneira.

Doze bilhões de vidas. Quase o dobro de toda a população humana desta Terra. Este é o número dos animais que têm sua vida tirada a cada ano, apenas para não ser utilizada e jogada fora. Novamente, eu não estou tentando te persuadir que comer carne é errado (na enquete eu fiz no Twitter por 24 horas, na semana passada, 59% das 11,061 pessoas que participaram, alegaram que estão bem em comer carne sabendo que aquilo uma vez foi um animal). Sendo assim, a maioria dos comedores de carne na minha vida, aceitaram matar os animais pela carne, mas eu imagino como eles se sentiriam sobre o fato de que bilhões de animais estão sendo mortos sem nenhuma razão? As mesmas pessoas seriam contra a morte desses animais se eles não fossem nem consumidos?

Eu tenho trabalhado na minha ética pessoal nos últimos 15 meses sobre ser vegetariano, e explorei várias teses diferentes em comer versus não comer carne. Um argumento que me interessa e um que ocasionalmente fica em debate quando eu estou com os meus amigos é o do homem das cavernas: ‘O homem das cavernas comia carne, comer carne é hereditário’. Aqui está minha resposta

Sim, o homem das cavernas matava, comia e vestia animais. Eles faziam isso para sobreviver, isso é indiscutível. Contudo, eles utilizavam animis e aqui está a diferença. Nossos antepassados fundamentalmente não comiam carne ou usavam couro porque era fashion, eles faziam isso para sustentar a existência e combater os elementos.

Eu tenho zero queixas com tribos remotas que matavam e comiam animais para sobreviver. Eu também teria dificuldade em argumentar que comprar um cinto de couro e usá-lo por dez anos também é errado. É sobre reconhecer o que é genuinamente requerido e usar o que nós tomamos.

Grandes indústrias de alimentos que produzem milhares de quilogramas de carde todo mês não é natural. Eles não estão fazendo isso para garantir a sobrevivência da raça humana – eles estão capitalizando a gula e aumentando o abate desnecessário.

Eu não vou dizer que você só merece comer carne se puder dizer honestamente que você mesmo mataria o animal, porque eu aprecio que não é uma comparação realista atual. Apesar, o que eu perguntaria é que você pensa sobre o que você está comprando, fazendo ou pedindo; pense se você honestamente precisa pedir aquele lado extra das asas de frango, aquele adicional de pilhas de costelas. 18% dos 9,412 que responderam outra enquete no meu Twitter, afirmam que eles comem apenas metade do prato, com 14% dizendo que eles nem mesmo sabem o quanto eles deixam. Eu iria argumentar que se você nunca termina sua refeição, talvez você simplesmente não exija o tamanho da porção que foi feita/dada para você.

Se eu pudesse te persuadir para fazer apenas uma coisa, seria para pelo menos comer atenciosamente. Por todos os meios, coma carne se você deseja, mas por favor, para o bem de bilhões de animais que têm morrido pelos seus hamburgers e salsichas, peça ou faça porções de tamanho mais realistas. Eu sei que as pessoas irão comer carne pelo resto dos tempos mas eu desesperadamente espero que todos nós sejamos capazes para diminuir drasticamente o angustiante número de animais que são mortos e então, não usados.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY